"Se o doido persistisse na sua loucura tornar-se-ia sensato." (William Blake)

"O louco, o amoroso e o poeta estão recheados de imaginação." (William Shakespeare)

Pesquisar neste blog ou na Web

MINHAS PÉROLAS

sábado, 20 de setembro de 2014

APRENDERAM COMIGO (Então não confunda "vencer na vida" com "vencer a vida".)




crônica

APRENDERAM COMIGO (Então não confunda "vencer na vida" com "vencer a vida".)

Por Claudeci Ferreira de Andrade

           Alguns de meus alunos me cobram conhecimento, da forma mais cruel possível, num tom de crítica e em público. Quando erro no texto, diz o pior deles, a quem interessar minha humilhação: — "e diz que é professor de português". Fica evidente que, estes poucos, não querem aprender de mim, por que pensam que já sabem muito e focam na minha fraqueza para se fortalecerem. Mas, eu não tenho culpa deles serem péssimos alunos, ofereço-lhes meus acertos que são mais frequentes. Porém, mediram-me apenas por uma palavra mal dita, ou uma frase gaguejada, ou um trava-língua mal ensaiado, ou um tê que esqueci de cortar no texto do quadro etc.  entretanto enfatizam tão veemente o que não presta em mim, que assumi minha cegueira para não ver sua torpe vontade de crescer. E assim, alimentam seus erros com tanto prazer, tal qual o prazer que retornou à sua vida pela a vingança imediata. Quem me dera ver  perdurar as lições que lhes dei, baseadas em livros, vidas melhores e intelectos privilegiados como dura o desejo de vingança em seu coração. Mas, fingem não se interessar pelo que planejei. Se faço correto é mera obrigação, também não lhes chama a atenção por ser tradicional.
          Ao que ensina é justo o desfrutar ou o receber os prazeres de ver aplicação do que ensinou, a colheita bendita, a prova da utilidade. Por que estou reclamando se foi isso que eles aprenderam de mim! Chamo-lhes a atenção para confirmar meu desejo de autoridade, repreendo-os, castigo-os e atribuo notas escalonadas conforme a produção. Mentira!  Deixo correr frouxo, e todos os dias tenho que explicar para um deles por que lhe dei aquela nota. Se assim não for, o pai vem à escola! Então, em meio pressão, ameaças e desacatos, pais e coordenadores pedagógicos forçam para fazer a nota boa somarem nas estatísticas. É lógico, se errei em algumas delas para melhor, ninguém vem reclamar! Embora, as boas notas que a maioria tem revelam o grau de marginalidade e não mais de intelectualidade, pois colam até nos simulados, de cuja nota também deveria ser simulada! Promovidos gratuitos na unidade escolar. Um professor levou 5 tiros de um aluno por que não lhe deu uma nota que o fizesse feliz. E qual professor os fará felizes? http://g1.globo.com/se/sergipe/noticia/2014/08/professor-baleado-por-aluno-dentro-de-escola-permanece-sedado-na-uti.html (acessado em 20/09/2015).
            A sala dos professores tem que ser blindada tal qual os ouvidos dos predadores são para  entender as ditas que saem de lá! Naquele caso, o professor deu a nota que o aluno mereceu, e ele atirou no professor...( é menos mau quando nos atiram só palavras, bravatas e xingamentos) e, com isso, continuam intimidando os professores e encorajando outros alunos a forçar a escola aprovar todos os demais desrespeitadores. Certamente nos concursos, eles comprarão ou porão a arma na cabeça do avaliador para ganha a vaga. Vencer na vida é isso? Quem confunde tudo também confunde: "vencer na vida" com "vencer a vida".
Claudeko Ferreira

Comentários

Enviado por Claudeko Ferreira em 17/08/2014
Reeditado em 20/09/2014
Código do texto: T4926136
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (autoria de Claudeci Ferreira de Andrade,http://claudeko-claudeko.blogspot.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Postar um comentário