"Não espere por uma crise para descobrir o que é importante em sua vida." (Platão)

"A amizade e a lealdade residem numa identidade de almas raramente encontrada." (Epicuro)

Pesquisar neste blog ou na Web

MINHAS PÉROLAS

domingo, 29 de maio de 2016

A PEDAGOGIA "FROTANAL" (Ameaçam minha liberdade de filosofar em sala de aula e me estimulam a ver mais pornografia)



Crônica

A PEDAGOGIA "FROTANAL" (Ameaçam minha liberdade de filosofar em sala de aula e me estimulam a ver mais pornografia)

Por Claudeci Ferreira de Andrade

          Nunca uma celebridade foi tão comentada nas redes sociais e jornais do que o invejável, polivalente, Alexandre Frota: Com seu currículo de ator, diretor, ex-modelo, comediante, ex-jogador de futebol americano, apresentador, empresário e ex-ator pornográfico brasileiro (tendo 20 filmes dessa categoria). Sem falarmos das participações em programas e reality shows dentro e fora do país. Bem pudera, segundo tanta bagagem intelectual e conhecimento universal, ousou levar ao ministro da Educação, Mendonça Filho, no MEC, uma proposta com melhorias para a educação brasileira. O "grande pensador", tal qual Valesca Poposuda, também divulgou ter visitado o ministro da Cultura, Marcelo Calero. E após uma tacada só, o ator e seus amigos do "Revoltados On Line", apresentaram a defesa do projeto "Escola sem Partido", proposta ultra reacionária, sob o pretexto em combater a “doutrinação ideológica” e o “comunismo” nas escolas e universidades, propondo restabelecer a censura e a perseguição a professores e estudantes denunciantes da política reacionária conforme a direita ou simplesmente expressem opiniões diferentes dos conservadores, não só a respeito de política, mas também sobre sexualidade, Educação etc.
             Li tantos comentários na internet, sobre o caso, vindo-me ocorrer a seguinte constatação: O sistema educacional anda mesmo "capenga"! Eu já havia dito sobre a educação ser semelhante ao futebol, todo mundo acha-se entendido demais e dá "pitacos" empiricistas, só na boa fé. Bem, mas, Alexandre Frota e outras celebridades em diversas áreas nem são de pouca monta. Pelo menos, chamaram a atenção do mundo para uma suposta causa nobre, isso se faz necessária. Criticas, ironias, inadequações e incoerências ideológicas a parte, firmo aqui consoante  a pedagogia "Frot(anal)" seu lado positivo é inegável, pois os mesmos aspectos desta proposta já foram considerados, apesar de  barrados em outras ocasiões por outras autoridades, porém quem sabe dessa vez, dará certo! O adágio popular reza: "água mole em pedra dura tanto bate até que fura", eu jamais nego os benefícios  das cartilhas conforme a orientações sexuais, reforçando o combate a homofobia e reprovando todas as anomalias sociais e preconceitos; sobretudo, promovendo o amor nas escolas, se não fosse a tendência entre outros renomados pedagogos: Orientação Sexual é um dos temas transversais proposto nos Parâmetros Curriculares Nacionais - PCNs, do MEC, visando à compreensão e reflexão da realidade social, construindo assim a cidadania.
           E quando dizem sobre o ator ex-pornô nem saber o que seria o melhor para a educação brasileira, estão equivocados, pois na situação atual, qualquer um sabe melhorar. O mais assustador para mim não é o tolhimento da liberdade do professor em sala de aula, mas a execução do projeto inovador de muitos pais e alunos, os quais conquistam suas melhorias na escola batendo em professor. Então, minha maior preocupação no momento é com o futuro da escola.
           E caso essas "inovações" nem venham a ser aprovadas, mesmo assim, preocupa-me desde o presente da escola, sobretudo com a alta divulgação dos trabalhos artísticos do "educador" Frota e dos outros de mesma natureza pelos meios educativos: Ninguém nunca assistiu a tanta pornografia "frot(anal)" como nesse momento. Até uma professora confessa em um comentário no Facebook: "Quando me lembro que vi um trecho do pornô dele. ECA! Que nojo." Na verdade, seus filmes nunca foram tão divulgados e assistidos sob o pretexto da curiosidade, volto ao risco de dizer: Mesmo se sua proposta para o MEC não sendo aprovada já lhe valeu ao sucesso de seu outros trabalhos.
             A escola sempre foi um palanque de fácil acesso, um público cativo e mais uma vez bombardeada, sinto-me destroçado, no papel de professor, por dois motivos: de um lado ameaçam minha liberdade por filosofar na sala de aula e, do outro, estimulam-me a assistir mais a pornografia.
           E falando nisso, uma coisa puxa outra, antecipam-se as torturas aos professores descuidados segundo suas expressões fortes em sala de aula. Li isto também sobre a aluna universitária que processou seu professor: “Ele utiliza do meu nome com expressões de cunho racista quando ele diz, por exemplo, 'pretinha e desclassificada fazendo macaquices'. Então, todas essas expressões que ele utiliza são claramente de teor racial e pejorativas”. http://g1.globo.com/mato-grosso/noticia/2016/05/estudante-denuncia-professor-da-ufmt-por-racismo-pretinha.html - (acessado em 03/06/2016).
           "Pretinha" é uma expressão, na maioria das vezes, usada carinhosamente. Só configura racismo aos maldosos (Tito 1:15). "Desclassificada" não tirou nota suficiente ou por está fazendo "macaquice", perturbando a aula do professor. É isso, quaisquer palavras usadas para repreender alunos em sala de aula, doravante fará do professor marginal, digno de processo. As palavras referidas podem ser ofensivas, sim, se foram pronunciadas com a intenção de ofender e forem recebidas como ofensivas, mas quem pode julgar as intenções? Estão brincando de ser o Deus cruel do velho testamento. Assim, ao invés de corrigir, enfraquecem, mais ainda, o professorado. Parece-me vingança! De forma nenhuma, estou querendo justificar ninguém, só queria entende porque eles me chamam de velho caduco, cabeça-branca etc?!
Kllawdessy Ferreira

Comentários

Enviado por Kllawdessy Ferreira em 27/05/2016
Reeditado em 29/05/2016
Código do texto: T5648548 
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (autoria de Claudeci Ferreira de Andrade,http://claudeko-claudeko.blogspot.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

sábado, 21 de maio de 2016

A INTEMPERANÇA ALIMENTAR E A INDISCIPLINA ESCOLAR (Ellen White defendeu que o meio ambiente apropriado, ações corretas e uma dieta adequada proporcionavam saúde mental.)



Crônica

A INTEMPERANÇA ALIMENTAR E A INDISCIPLINA ESCOLAR (Ellen White defendeu que o meio ambiente apropriado, ações corretas e uma dieta adequada proporcionavam saúde mental.)

Por Claudeci Ferreira de Andrade

           A escola que oferece conhecimento atrai intelectos, mas a que oferece comida atrai estômagos! Falei isso a uma aluna do segundo ano, e ela me falou que estava ali pelos dois motivos. Então, eu continuei argumentando, por que não achei ser possível as duas coisas ao mesmo tempo, quando comemos, sentimos uma sonolência terrível, indispondo-nos às atividades intelectuais, falta oxigênio no cérebro, por isso Jesus recomendou jejum temporário para melhorar a clareza mental, sendo assim, o estômago vazio intencionalmente não atrapalha estudar. O que atrapalha é a fome, mais precisamente, a certeza das impossibilidades de adquirir a alimentação. Disse Ellen White: "Os corretos hábitos físicos promovem a superioridade mental. A capacidade intelectual, a vitalidade orgânica e a longevidade, dependem de leis imutáveis. O Deus da Natureza não intervirá para preservar os homens das consequências de transgredir as exigências da Natureza. Aquele que se esforça pelo domínio, deve ser temperante em todas as coisas. A clareza mental de Daniel, sua firmeza de propósito, a capacidade de adquirir conhecimentos e resistir à tentação, eram em alto grau devidas à simplicidade de seu regime alimentar, aliada à sua vida de oração."
               Outro agravante em a escola oferecer comida, é que essa atitude serve de ponte para ela também assumir o papel das famílias em educar suas crianças. Ainda que sua responsabilidade seja a escolarização, permite que os pais fujam de suas obrigações, depositando seus filhos na escola. Portanto, saibam, a escola não pode substituir o lar. Devem as famílias alimentarem e educarem suas crianças, e a escola, por sua vez, intelectualizá-las com conhecimentos técnicos e seculares. Ali, são apenas os alunos da escola e seus filhos intocáveis. A mistura das ocupações pressupões a indistinção de ambiente, prejudicando os papeis e gerando indisciplina.
           Quais exemplos de ações intemperantes temos na escola: Alunos pedem trabalho extra para complementar sua nota. Por que eu haveria de elaborar trabalho extra ao aluno que estrategicamente veio transferido de outra unidade escolar quando percebeu que ia reprovar lá, ou por outro motivo qualquer, sacrificando-me ao extremo e desfavorecendo os perseverantes dedicados que aqui já estão? Argumentam que foi a coordenadora que os orientou e então eles, com asas, sentem-se enfeitados demais e atraentes suficiente para zombar do sistema. Mesmo sabendo que não são melhores que ninguém, estão a condescender com suas paixões baixas. Além do mais, eu não tenho culpa de seu infortúnio, não posso me sobrecarregar de trabalhos extras, além de minhas aulas e, acima de tudo, corrigi-los, suas consequências não posso pagar. A justiça não privilegia a ninguém! Nesse caso, a coordenadora se sente ofendida, pois se percebe impedida de reafirmar sua autoridade, já que sempre se  posicionou ao lado dos alunos contra o professor. Cresce os alunos em desfavor ao mestre, quando ainda se gaba de existir para ajudá-lo.
            Um exemplo de meio ambiente intemperante: Na sala de aula, comem arroz, carne e macarrão todos os dias na hora da aula, porque na escola tem lanche. Ali, os parceiros comensalistas têm uma relação interespecífica, com benefício para um deles (alunado), mas sem prejuízo para a outro (escola); inquilinismo. Se todos por aqui dão seu "Jeitinho brasileiro", eu também sou "Macunaíma". Pois, ninguém pretende o "Triste Fim de Policarpo Quaresma." Agora os alunos e seus pais ameaçam tratar de quaisquer assuntos mínimos com a direção, porque de cima para baixo flui melhor. No terreno de "nervosinhos", o equilíbrio mental é prejudicado com a falta de clareza!
            Ellen White defendeu que o meio ambiente apropriado, ações corretas e uma 'dieta adequada' proporcionavam saúde mental. "Quando ela usou o termo 'saúde mental', associou-o a 'clareza mental, nervos calmos, sossego, espírito pacífico como de Jesus'”. Poderíamos até pensar positivamente que achamos a solução para a indisciplina nas escolas, se não, pelo menos, uma aliada que ajudará bastante combatê-la: a temperança. Alguém tem interesse de se abster dos excessos para viver melhor? (http://dialogue.adventist.org/pt/artigos/20-3/burt/ellen-white-e-a-saude-mental) - acessado em 21/05/2016.

Kllawdessy Ferreira

Comentários

Enviado por Kllawdessy Ferreira em 15/05/2016
Reeditado em 21/05/2016
Código do texto: T5636088
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (autoria de Claudeci Ferreira de Andrade,http://claudeko-claudeko.blogspot.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

sábado, 14 de maio de 2016

O MACONHEIRO ( "E o tempo segue displicente, embrulhando as horas sem pressa alguma na poesia do dia-a-dia." —Edna Frigato)



         

Crônica

O MACONHEIRO ( "E o tempo segue displicente, embrulhando as horas sem pressa alguma na poesia do dia-a-dia." —Edna Frigato)

Por Claudeci Ferreira de Andrade

            O adolescente acordou muito cedo, nesse dia! Foi ao banheiro, fez suas necessidades fisiológicas, tomou banho, depois tomou seu desejum, escovou os dentes, arrumou-se, pegou seu material escolar e saiu para o colégio. Andou devagar, e as ruas estavam vazias.
— Deve ser por que ainda está muito cedo! – pensou ele em voz alta.
Continuou a caminhar e chegou ao colégio, mas não havia ninguém ali, todavia lhe nasceu uma esperança descobrindo a fresta do portão semiaberto. Empurrou-o um pouquinho mais e avistou o guarda assentado na área de dentro. Então gritou entusiasmado:
— Seu guarda, hoje não tem aula, não?
— Hoje é sábado, meu filho! kkkkk!
           Nos informa Lucas Martins: "A maconha, cujo nome científico é Cannabis sativa, é uma das drogas mais usadas no Brasil, por ser barata e de fácil acesso nos grandes centros urbanos. O modo mais utilizado para usá-la é fumando enrolado em um papel, ou então utilizando um cachimbo. O que traz os efeitos é uma substância muito poderosa chamada tetrahidrocanabinol (THC), que varia de quantidade, dependendo da forma como a maconha é produzida ou fumada.
           Os efeitos, logo após fumar o cigarro de maconha, são (podem ser diferentes dependendo da quantidade de THC):
euforia, sonolência, sentimento de felicidade, risos espontâneos, sem motivo algum, perda de noção do tempo, espaço, etc. perda de coordenação motora, equilíbrio, fala, etc. aceleramento do coração (taquicardia), perda temporária de inteligência, fome, olhos vermelhos, e outras características.
           O tempo do efeito depende do modo como a maconha é utilizada. Se for fumada, o THC vai rapidamente para o cérebro, e o efeito dura aproximadamente 5 horas. Se for ingerido, o efeito demora pra vir (cerca de 1 hora) mas dura aproximadamente 12 horas. Quando a quantidade de THC for mais alta, podem-se somar os efeitos: alucinações, ilusões, ansiedade, angústia, pânico, impotência sexual.
           Os efeitos a longo prazo são muito mais danosos: maior chance de desenvolver câncer de pulmão, bronquites, sistema imunológico fragilizado, tosse crônica, arritmia cardíaca. Outros nomes da maconha: baseado, erva, marola, camarão, taba, fumo, beck, bagana, bagulho, cachimbo da paz, capim seco, erva maldita, etc. http://www.infoescola.com/drogas/maconha/
           E tem alunos que vendem no banheiro da escola. Eu não sei o que fazem na escola os alunos que não faltam um dia sequer, bagunçam as aulas, atrapalhando os que querem estudar, não tem nada escrito em seu caderno e todas as notas estão abaixo da média. E eu maconheiro por tabela, de vez em quanto explico minha aulas respirando o cheiro de maconha. Digo que maconha e escola não combinam, já disse Mário Sérgio Cortella: Usar a maconha não faz de você  um intelectual, mas sim, maconheiro. 
Kllawdessy Ferreira

Comentários

Enviado por Kllawdessy Ferreira em 04/05/2016
Reeditado em 14/05/2016
Código do texto: T5625434
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (autoria de Claudeci Ferreira de Andrade,http://claudeko-claudeko.blogspot.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

sábado, 7 de maio de 2016

CONVERSÃO É FARSA (MUDANÇA DE CARÁTER É ILUSÃO: "Assim também podereis vós fazer o bem, estando tão habituados à prática do mal?")


Crônica

CONVERSÃO É FARSA (MUDANÇA DE CARÁTER É ILUSÃO: "Assim também podereis vós fazer o bem, estando tão habituados à prática do mal?")

Por Claudeci Fereira de Andrade

           Um homem não pode enganar a si mesmo, senão seria admitir a bipolaridade do seu eu ou a presença de um "Clone" do seu eu. O mais esperto enganaria o atrofiado! Uma essência única é necessária como princípio, do início, do meio e fim do ser. Numa formatação de dualidade não há indivíduo, perde-se a identidade. O que quer dizer Provérbio 22:6? "Ensina a criança no Caminho em que deve andar, e mesmo quando for idoso não se desviará dele!"

           Mudança de comportamento não significa mudança de caráter, mas uma confirmação do comportamento conveniente do caráter, aquele que se permite os desejos de quem quer tirar proveito em tudo, é próprio do "jeitinho brasileiro". Não existe "Herói sem caráter": Macunaíma é uma farsa.
             Como entender Jer. 13:23? "Pode o etíope mudar a sua pele? Pode o leopardo alterar as suas pintas? Assim também podereis vós fazer o bem, estando tão habituados à prática do mal? Como vimos, a educação é só uma motivação do direcionamento comportamental com a distinção do indivíduo,  que ainda vai reagir com os moldes exclusivos do caráter. A transformação que se ver nas pessoas é superficial é só aparente, e dura enquanto o indivíduo acreditar ser seu o melhor a fazer.
          O que pretendem as instituições como: escola, igreja, presídios, se a Bíblia tem razão? "Mesmo que você espanque o perverso, como grãos num pilão, a sua insensatez não se separa dele! (Pv 27:22). "Mesmo nesse tempo em que passou por várias provações, o rei Acaz não mudou de atitude, pelo contrário, tornou-se ainda mais infiel a Yahweh, o SENHOR.…"(2 Crônicas 28:22,23). "Mas SENHOR, não é fidelidade que os teus olhos buscam? Tu já os feriste, mas eles não compreenderam nada, nem sentiram a dor da correção; tu os deixaste extenuados, mas recusaram aceitar a lição. Ao contrário, empederniram e fecharam o rosto mais do que um rochedo, e negaram arrepender-se."(Jeremias 5:3).
           Parece-me que alguém tomado por um comportamento radical não deixa espaço para si mesmo. "E dirás: 'Feriram-me, mas eu nada senti! Bateram em mim, contudo eu nada percebi! Quando despertarei para que possa voltar a beber?'” (Provérbios 23:35). "Como um cão que torna ao seu vômito é o insensato que repete suas tolices." (Provérbios 26:11).
          Chego a pensar que quando educamos adultos, estamos apenas forçando-os a um comportamento que nos agrada! Existe uma entidade última e imutável, constituinte do homem já formado, essa é sua identidade, nessa estão todas as informações, os traços moldados pela forma original da individualidade. Se duas crianças gêmeas criadas juntas, recebendo a mesma educação, ainda assim elas amam diferente porque a energia do realizar vem de dentro com a distinção do eu de cada uma.  "Pois é Deus quem produz em vós tanto o querer como o realizar, de acordo com sua boa vontade. ninguem faz nada igual ao outro". (Fl 2:13). "Porquanto, pela graça que me foi concedida, exorto a cada um dentre vós que não considere a si mesmos além do que convém; mas, ao contrário, tenha uma auto-imagem equilibrada, de acordo com a medida da fé que Deus lhe proporcionou." (Romanos 12:3). "E, em seu amor, nos predestinou para sermos adotados como filhos, por intermédio de Jesus Cristo, segundo a benevolência da sua vontade." (Efésios 1:5).
           Há uma consciência universal que também toma os moldes da individualidade quando perpassa o íntimo do homem. "E há diversas maneiras de atuação, mas é o mesmo Deus quem efetua tudo em todos." (1 Coríntios 12:6). O verdadeiro educador motiva ao educando um comportamento mais ou menos na direção das tendências sociais do momento. Então, todo trabalho da educação é motivar, e não forçar, fazendo com que o indivíduo acione sua individualidade na direção que esperamos dele. E viva a espontaneidade.
           A quem pretende ensinar alguma coisa: "É por isso que se mandam as crianças à escola: não tanto para que aprendam alguma coisa, mas para que se habituem a estar calmas e sentadas e a cumprir escrupulosamente o que se lhes ordena, de modo que depois não pensem mesmo que têm de pôr em prática as suas ideias." (Immanuel Kant). "Ninguém educa ninguém, ninguém educa a si mesmo, os homens se educam entre si, mediatizados pelo mundo." (Paulo Freire ).
           Com certeza, num futuro bem próximo, teremos computadores mais perceptivos que humanos! Programa-se eles, pois não têm individualidade e sim uma consciência universalizada conforme a tecnologia aplicada. É assim também nos humanos adultos, quando se educa, pretende-se anula sua individualidade? Se for, só me resta lembrar que  "toda generalização é burra" e reforçar com o que disse Nelson Rodrigues: "Toda unanimidade é burra. Quem pensa com a unanimidade não precisa pensar."
            Por isso, deve-se repensar os objetivos da escola e dos presídios, quando usar o termo "reeducando". O caráter essencial não muda, ninguém pode perder sua individualidade, senão tornar-se-á coisa e não se reconhecerá. Só a família permanece...,se for normal, com unanimidade para inicializar as crianças. Educação nada mais é do que direcionar o comportamento, e têm uns modelos de ensinamento que pretendem podar as manifestações originais do caráter: apologia à hipocrisia geradora da "harmonia" social!
Kllawdessy Ferreira

Comentários

Enviado por Kllawdessy Ferreira em 30/04/2016
Reeditado em 06/05/2016
Código do texto: T5620715
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (autoria de Claudeci Ferreira de Andrade,http://claudeko-claudeko.blogspot.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.