"Meu maior sonho depois do ENEM 2016 é: Ler todas as redações." (amauri valim)

"ENEM... Um jogo de muitos chutes e poucos goollsss..." (Clébio Carvalho)

Pesquisar neste blog ou na Web

MINHAS PÉROLAS

domingo, 27 de julho de 2014

ABRAÇANDO A SUBCULTURA, TAMANDUÁ! (Diga-me quem são seus grandes pensadores que direi quem você é!)



Crônica

ABRAÇANDO A SUBCULTURA, TAMANDUÁ! (Diga-me quem são seus grandes pensadores que direi quem você é!)

Por Claudeci Ferreira de Andrade

           Será que não existe o submundo (em grego: transl. káto kósmos) onde reina a violência, a droga, o crime e o desrespeito?  Se existir, também existe uma subcultura: com uma mídia de péssimo nível; com as letras de músicas que não dizem nada que se aproveite; com pessoas que são famosas de graça e que mal terminaram o ensino fundamental; com políticos que erram a leitura de um discurso que lhes foi escrito, para saciar seus ouvintes inescrupulosos e pouco exigentes. Então, não é de admirar que professores que lecionam em um sistema de "Promoção automática" não saiba selecionar bem seus grandes pensadores. Afirmo que a exigência da "progressão automática" obriga  o afrouxamento do juízo de valor do avaliador e promove a subcultura, nivelando por baixo o conhecimento e as relações com ele, ressuscitando e valorizando somente a moda sem sentido! Se está difícil manter o nível, imagina elevá-lo. Os iguais se protegem!!! São tantas as forças que tentam me arrastar, mas é esta coisa que não quero para mim. Porque disse Paulo Coelho: "Quando alguém evolui, evolui tudo que está a sua volta." Este pensamento também é válido para a regressão!
           O que não farão os fomentadores da subcultura, para discriminar os grandes pensadores da filosofia tecnicamente tradicionais? A subcultura é divulgada com a também variedade linguística informal, gírias e todos os vícios de linguagem. Ninguém defende uma tese de mestrado ou doutorado se utilizando da variedade linguística não privilegiada. A subcultura, na maioria das vezes, está na pichação e não nas telas a óleo das grandes galerias. A subcultura se manifesta nos "rolezinhos" forçando a elite ao acolhimento dos excluídos por eles mesmo. A subcultura substituiu os verdadeiros símbolos por paralelos: a páscoa original por coelho e ovo de chocolate; deturpou outras festas sagradas e fez do carnaval um comercio do ano todo. Temos que discriminar para valorizar. Se todos pensassem igual ninguém pensava grande, é claro. Todavia, já que todos são pensadores e, portanto, filósofos, como dizem alguns, então o Estado pode contratar qualquer um para ministrar aulas de filosofia que está valendo!!!! Se discriminar é crime, a academia não devia classificar.
       Quero me desculpar com o dadaísmo de nossa época, por ter me deixado enganar que tinha um saber superior por ter frequentado uma academia de filosofia e por não me considerar um pensador a altura dos filósofos tradicionais e também ter ciúmes por não aceitar outra pessoa, que não lapidada pelos saberes oficiais, seja reconhecida pensadora. Mas, aprendi muito bem a respeitar a opinião dos outros, tanto que  examino  tudo para escolher o que é bom. Querendo ou não, estou Intrometido na subcultura para me fazer refletir na outra direção. Comportamento esse de quem almeja uma cultura elevada!
      Uma pessoa honesta não trabalha com ironia, é sempre verdadeira no que diz e faz, e o verdadeiro amor (agapê) não se recente do mal. Portanto não é de meu feitio, beneficiei-me da subcultura sim, porém aqui quero apenas ser a coruja que gaba o toco que dorme e expressar minha gratidão ao outro que apodreceu e caiu. Agora sou responsável pelo que digo, e você pelo que entende: Talvez não subcultura, mas, há Cultura e cultura!
Claudeko Ferreira
Enviado por Claudeko Ferreira em 18/04/2014
Reeditado em 27/07/2014
Código do texto: T4773514
Classificação de conteúdo: seguro
Comentários

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (autoria de Claudeci Ferreira de Andrade,http://claudeko-claudeko.blogspot.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Postar um comentário