"Todas as coisas complexas estão condenadas à decadência." (Buda)

"Evoluir não é melhorar. A lagarta jura que a borboleta é a sua decadência." (Fabrício Carpinejar)

Pesquisar neste blog ou na Web

MINHAS PÉROLAS

sábado, 5 de julho de 2014

QUANDO OS IGUAIS SE NEGAM (Em todos os lugares os iguais se protegem na educação eles se negam)



Crônica

QUANDO OS IGUAIS SE NEGAM (Em todos os lugares os iguais se protegem na educação eles se negam)

Por Claudeci Ferreira de Andrade

            Cada um da grande maioria dos alunos "de menor" é uma bomba relógio ambulante, tem tanto poder em seus intentos malévolos que sempre há um suicida insólito para provocar o perigo, quase sempre resulta em grandes avarias!
            — "Deixa para conselho de classe" – uma aluna de 6º ano, nem tem maturação para tanta maldade, mas disse bem alto para eu escutar, insatisfeita com minhas advertências, – "vamos infernizar nossos pais para bater no professor". Sendo que os pais deles não comparecem nem às reuniões corriqueiras da escola, vai querer aparecer em algum conselho de classe? Confortei-me com essa pergunta. Porém, pensando melhor, conhecendo-os muito bem e a produtividade deles, certamente farão seus pais irem, sim, a qualquer reunião com suas chantagens! Ah, esqueci-me, esta semana, a mim apareceu um senhor ainda bem jovem, no meio da tarde, para me perguntar por que não aceitei o trabalho da enteada! Isso não me amedrontou tanto, poderia está bem intencionado, ele também foi meu aluno! Só não entendi por que não acreditou na filha!
          Outra coisa que me amedronta mesmo é quando eu falo que o aluno fulano de tal é um péssimo aluno, desrespeitador e desvalorizador da escola, e a minha colega professora diz: — "Pois comigo ele é ótimo"!

          A escola é uma, os alunos são os mesmos; minha aula de Língua Portuguesa é tão sem admiração tanto quanto as de matemática, história, geografia, religião,  percebo pelos resultados, e pela receptividade, e comentários de alunos. Porém os colegas, que estão sofrendo o mesmo penar, se dizem dar aulas boas, são Hipócritas, elogiando a si mesmos! É certo que não dou aulas boas, não por que me faltasse conhecimento em minha disciplina e dinâmica, mas porque eles não querem me ouvir e participar. E o desempenho dos bons professores não é capaz de ser a laranja boa que salva a caixa, mas é apenas a podre que, apesar de perfumada, continua nos separando. Por que um colega quer exaltar-se perante o outro pisando-lhe o calcanhar,  será que ele acha que as pessoas acreditam nele? Eu sou apenas realista, contudo as avaliações externas estão sempre mostrando índices baixos em todas as matérias.

           Esta rivalidade entre professores, promovida pelo medo do aluno marginal e de coordenadores perseguidores, sendo também patrocinada por bônus do governo com a sensação de indignidade, e pela a insegurança do contrato temporário, afeta até a homogeneidade necessária para as movimentações de conquista por salários melhores. Greve de professor não rende nada, mesmo que se paralise por 90 dias, a maioria prefere ficar em casa lavando roupa e limpando as coisas; o alunado, gostando muito da "lambança", também nem se une aos seus professores "queridos" nas reivindicações. Agora eu aprendi, vou sempre dizer que tudo está as mil maravilhas mesmo que eu esteja, no silêncio de meu quarto, orando todas as noites para afastar as nocividades que atormentam meu trabalho, já que elas não atrapalham os meus colegas de trabalho não vou deixar que me atrapalhe também! Se o lanche dura quase 30 minutos todos os dias! Vou é lanchar com eles e pronto!

          Ali, até as tentativas de elogios são equivocadas. A coordenadora, minha amiga, jura que não quis me prejudica, mas chamou a atenção dos participantes daquele conselho e disse: — "Eu não sei como o Claudeci consegue dar aula naquela bagunça, eu não consigo!" E ela disse rindo, como se fosse um elogio da minha maior amiga!

            Que bagunça? São apenas tentativas com aulas dinâmicas com jogos atrativos e acirrados, para amenizar a revolta deles, uns com outros, com alguma coisa útil para ensinar. Se exageram, a falha não está na metodologia, mas no indivíduo sem foco e desequilibrado de pai e mãe. Seguindo Platão: "Não eduques as crianças nas várias disciplinas recorrendo à força, mas como se fosse um jogo, para que também possas observar melhor qual a disposição natural de cada um." Nisso creio.
Claudeko Ferreira
Enviado por Claudeko Ferreira em 10/04/2014
Reeditado em 05/07/2014
Código do texto: T4764156
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (autoria de Claudeci Ferreira de Andrade,http://claudeko-claudeko.blogspot.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Postar um comentário