"Se o doido persistisse na sua loucura tornar-se-ia sensato." (William Blake)

"O louco, o amoroso e o poeta estão recheados de imaginação." (William Shakespeare)

Pesquisar neste blog ou na Web

MINHAS PÉROLAS

sábado, 15 de fevereiro de 2014

O TRANSTORNO DOS ÍNDICES EDUCADOS (Ração melhor para os produtivos)


         
Por Claudeci Ferreira de Andrade

           Para a pré-modulação do ano que vem (2014), tiraram-me das aulas de Língua Portuguesa nos terceiros anos do Ensino Médio matutino! Nesse momento de reajuste, disse-me a diretora que a Secretaria de Educação tinha decretado critérios rígidos contra os professores que são relapsos: faltosos, sem boas recomendações de coordenadores e de alunos (O que adianta não ser faltoso se sou relapso sem recomendações?). Agora, apenas me conforto na certeza que ela não me conhece verdadeiramente em sala de aula! Qual não foi a surpresa de todos do colégio ao receber os índices, do aproveitamento do alunado em Língua Portuguesa, do ano que acabou de terminar (2013). Foi o melhor já alcançado, pelo colégio, desde sua fundação!  Meu signo diz que tenho um valor inestimável e mereço todos os aplausos. E que devo deixar que as pessoas façam isso no momento certo e não exigir que elas me reconheçam quando eu quiser. E me diz mais que antes de receber elogios e atenções é importante que eu dê razões para isso, que também devo reconhecer o valor delas. Então, quero confessar, para que tenha a consciência limpa: foi certo o que fez comigo! As notas do IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) deverão subir sim para que possamos continuar bem empregados à vista de todos, fazendo nosso humilde e penoso trabalho! Para nossa sorte, a nova professora de Português, que ia me substituir não aceitou as aulas, suspeitou não fazer melhor, então continuei, para colher as honrarias pelo bem que plantei. A Culpa não é dos alunos; eles não trazem os livros que ganharam para estudar em sala; não participam com atenção nas aulas; devolvem a folha de redação das provas diagnósticas do governo em branco, coitados! Só não foram motivados para levarem a sério os seus estudos. Com certeza, a culpa dos baixos índices é mesmo do professor!!! Aliás, toda culpa é do professor mesmo quando também acerta!
           A Jerusalém abençoada que matava seus profetas ficou sem nenhum!  Será por que os cursos de licenciaturas estão vazios? {http://www.appego.com.br/papiloscopistas-goias/8237-vestibular-ufg-2014:-curso-de-medicina-chega-a-mais-de-100-por-vaga.-licenciatura,-menos-de-1-} (acessado em 12/02/2014).
           Segundo o estudo, que fez uma pesquisa quantitativa com mil entrevistados por país analisado, o Brasil só fica atrás de Israel na pior valorização do professor. No Brasil, menos 20% dos entrevistados responderam que encorajariam seus filhos a serem professores. Já na Coreia do Sul, a porcentagem é superior a 40%. {https://www.varkeygemsfoundation.org/sites/default/files/documents/2013GlobalTeacherStatusIndex.pdf}, (acessado em 12/02/2014).  Portanto, vou levar comigo, para o resto de minha vida, a culpa do fracasso da educação pública nas escolas aonde passei, medida por essas provas quem vêm da Secretaria do Estado de Educação, que os professores da própria unidade escolar aplicam-nas e as corrigem, mas chamam-nas ainda de externas. E condenado juntamente com muitos outros ultrapassados e culpados igualmente, mas, também levarei a certeza que não valorizaram os poucos que abraçaram a causa!!!!
          Às vezes, ser amigo de todo mundo, pode evitar esse tipo de frustração técnica,  pois já não se pratica mais os antigos critérios de distribuição das aulas para a modulação do novo ano letivo: era primeiramente por efetividade; depois, formação na área e; se empatassem, a prioridade para quem tinha maior tempo de casa. Porém, não sei por que estou lembrando isso se também quero o progresso do sistema educacional, ainda que o meu querer ultrapassado trilhe por veredas velhas! Vivemos em tempos novos, e por agora é proibido praticar o que funcionava muito bem no passado. Na pecuária é assim mesmo, melhor ração para os produtivos, mas também não há quem seja produtivo sem uma boa ração!
Postar um comentário