"A esperança seria a maior das forças humanas, se não existisse o desespero." (Victor Hugo)

"Uma falsificação é impossível quando não se tem o modelo a falsificar." (Helena Blavatski)

Pesquisar neste blog ou na Web

MINHAS PÉROLAS

sábado, 20 de outubro de 2012

AMEAÇA, REAÇÃO INSTINTIVA DO MEDO (Quem ousa chamar esse sistema de paternalista?)



Crônica da vida escolar : aconteceu comigo

AMEAÇA, REAÇÃO INSTINTIVA DO MEDO (Quem ousa chamar esse sistema de paternalista?)

Por Claudeci Ferreira de Andrade

          Como se não bastasse receber toda a culpa pelo o fracasso da educação, o professor ainda recebe amaças mil, vindas de superiores, de colegas, de alunos e de pais. Até de fantasmas!
          Um dia desses, quando fui assumir umas aulas de Língua Portuguesa na EJA, acordo tratado com a secretária do colégio, fui  Intimidado por atos, gestos e palavras, parecia que ninguém me queria ali. Na verdade, eram fantasmas que me ameaçavam! A professora  a quem alegavam deveria abandonar as aulas que seriam minhas nem estava de posse das mesmas, e, muito menos, sabendo do reboliço com o seu nome. Foi difícil concordarem que eu devia lecionar naquele primeiro ano noturno. São muitos os colegas travestidos de "gasparzinhos" assustadores de professor.
          Outros tipos de promessa de agressão, recebo todos os dias no fundamental. Eles são ainda crianças, de dez a quinze anos, mas já sabem ameaçar. Alguém que não cumpre seus deveres, porém cheios de direitos, não pode perder a "mamata": se impedi-los de lanchar, ou dar-lhe nota baixa, ou pedir silêncio, ou ainda que entre para sala de aula, então eles se mostram perigosos suficientes para afrouxar a metodologia do mestre. E ai do professor que usar de ameaças, também, para fazer a aula funcionar como manda os coordenadores!
          A  palavra "aluno" está inadequada para muitos deles. Pois, são "iluminados" demais para manipular, com promessas de castigo, à escola ou, mais diretamente, ao professor, quando dizem: — "se não aliviar meu lado, eu vou desistir". E essa ameaça funciona melhor na EJA (Educação de Jovens e Adultos). Eles descobriram que valem mais para a entidade educacional que a entidade vale para eles. O interesse exagerado que os funcionários da educação demonstram para que eles estudem denuncia o lucro que são, para o emprego de muita gente, estando ali devidamente matriculados. E, no final, o sair com um diploma na mão ajuda deveras as estatísticas despojadas de verdade; como predomina o gênero feminino no sistema educacional, vamos chamar este tipo de estatística de "carrasca". Que este epíteto irreverente revele que cada ameaça gera uma vingança instintiva do medo. Quem ousa chamar esse sistema de paternalista? Fica melhor, maternalista!!!
Claudeko
Enviado por Claudeko em 01/06/2012
Reeditado em 20/10/2012
Código do texto: T3699376
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários


Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (autoria de Claudeci Ferreira de Andrade,http://claudeko-claudeko.blogspot.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Postar um comentário