"Quando a casa do vizinho está pegando fogo, a minha casa está em perigo." (Horácio)

"Eu sou apenas um beijo da boca do luxo na boca do lixo." (Cazuza)

Pesquisar neste blog ou na Web

MINHAS PÉROLAS

domingo, 19 de maio de 2013

O educador emocionalmente na escola

O educador emocionalmente na escola

Diário da Manhã
Emídio Silva Falcão Brasileiro
  1. Por que nas escolas, tanto entre professores quanto entre alunos, ocorrem o desrespeito aos deveres e direitos humanos?
Devido a ignorância, ao egoísmo, ao descontrole emocional, causas primeiras de todo o desrespeito aos direitos e deveres destinados aos seres humanos. O desenvolvimento intelectual escolar deve estar sempre associado ao desenvolvimento moral de todos docentes e discentes para que o processo educativo seja prazeroso, pacífico, dinâmico e eficaz.
  1. De que modo o educador deve ensinar a educar as emoções na sala de aula?
Inicialmente, com o próprio exemplo, evitando as explosões emocionais, não raras vezes, proveniente do cansaço, de alguma insatisfação e da ausência de tolerância. As atitudes de compreensão e de companheirismo fazem do educador um profissional respeitado entre os alunos. Conscientizar o educando a respeito da necessidade e da importância da prática da meditação, do cultivo de pensamentos elevados, do equilíbrio mental, da disciplina, da respiração natural e da educação alimentar é o princípio da educação emocional.
  1. Certas dinâmicas de grupo podem ser feitas com os alunos para que eles aprendam a desenvolver a empatia?
Sim, por meio da interação que possibilite aos alunos os conhecimentos das opiniões e das características pessoais dos seus colegas e amigos.
  1. Quais as principais funções do professor no processo disciplinar?
O professor deve orientar sem agredir, ensinar sem humilhar, ouvir com tolerância, perceber as limitações e potencialidades dos alunos, adequando a linguagem e o conhecimento conforme o grau de assimilação de cada um deles. A família também deve participar do trabalho educativo, auxiliando no processo ensino-aprendizagem. Escola e família sempre identificarão nas falhas morais dos alunos algum vínculo com a falta de objetivo profissional ou de identidade em torno do curso profissional escolhido.
  1. É certo afirmar que o estudante é o principal agente facilitador da disciplina? 
Professores e alunos fazem parte do processo da aprendizagem, mas necessitam de motivações para ensinar e estudar. Educadores e alunos, identificados com as suas escolas, profissões e disciplinas e que trabalham integrados, contribuem com a ordem e o progresso do sistema educacional.
  1. Os ambientes físico e psíquico influenciam na disciplina escolar?
Sim, e tais influências resultam dos pensamentos, das ações e dos hábitos de todos que integram o ambiente educacional. A higiene e o bem-estar físico para o aprendizado são fundamentais para a harmonia física. O respeito, a fraternidade e o cumprimento do dever com amor são igualmente necessários para a formação de um ambiente psíquico-emocional salutar.
  1. De que maneira o professor pode angariar simpatia dos alunos e atraí-los para as suas aulas?
O professor deve ter domínio do conteúdo de sua disciplina, saber agradar e motivar os seus alunos para ensinar com segurança, humildade e otimismo.
  1. De que modo o professor pode transformar um conteúdo teórico numa aula atraente?
O professor deve demonstrar a utilidade do conteúdo para vida prática, incentivando o estudante a participar da aula com as suas ideias, conhecimentos e experiências. É sempre recomendável que as aulas tenham seus aspectos teóricos e práticos para o aluno fixar a lição e medir o grau de seu conhecimento da matéria.
  1. Geralmente o professor bem humorado atrai os alunos e o sério é mais respeitado. Como é possível conseguir a simpatia e o respeito do aluno concomitantemente?
É possível adquirir o respeito e a simpatia dos alunos por meio do otimismo, do sentimento de amizade, do conhecimento, da capacidade didática e de avaliações adequadas, continuadas, motivadoras do aprendizado. O educador deve evitar a ironia, a sisudez e o humor depreciativo.
  1. Existe alguma forma de melhorar as avaliações escolares?
Os critérios de avaliações do sistema educacional não devem ser meramente quantitativos e repressores, e sim em mais uma oportunidade para a promoção do aprendizado. Notas e conceitos não representam o saber, nem tampouco o potencial de trabalho do estudante em sua atividade profissional futura. Avaliações da memória não devem ser confundidas com o profundo conhecimento acerca do tema lecionado. Avaliações qualitativas representam um exame criterioso do desempenho do aluno ao longo do período das aulas. Avaliar é verificar o grau de interesse do estudante em participar, dando de si mesmo, das resoluções de exercícios, dos comentários em sala, da elaboração de trabalhos, da integração com o curso e da identificação com a profissão que almeja.
  1. A cada período letivo, os estudantes mudam, mas o professor prossegue  com o mesmo conteúdo. Nesse caso, como é possível tornar a aula mais atraente?
É necessário acrescentar ao conteúdo mais informações que ampliem o conhecimento e renovem o método do ensino. Sempre é possível tornar as aulas mais produtivas e agradáveis por meio da versatilidade e do entusiasmo em promover o conhecimento.
  1. Quais são os aspectos do comportamento que revelam ao professor a necessidade de avaliar sua vida profissional?
Alguns fatores determinam uma reflexão acerca das atividades profissionais: a satisfação e a competência ao realizar o trabalho, a resposta do meio à atividade concretizada, a disposição do autoaperfeiçoamento e o desejo de contornar ou de superar obstáculos. A atividade do magistério requer disciplina e constante motivação porque o professor está em constante contato com a ignorância e inúmeros fatores que se opõem  ao processo educativo. Por isto deve o professor estar alerta aos sinais de energias devastadoras que possam minar suas energias de boa vontade na senda da educação. Alguns procedimentos devem ser adotados para o devido realinhamento na atividade do magistério, tais como: Observar a assiduidade e a pontualidade, evitado faltas e atrasos frequentes e injustificáveis; ser versátil nas explicações para atender aos diversos níveis de alunos; evitar o estresse, o mau humor, perseguições pessoais, críticas deprimentes,  porque é necessário manter sempre um padrão de estabilidade emocional.
  1. É certo afirmar que há uma tendência geral e constante, quanto a melhoria do processo educativo? 
Sim, mas nas sociedades atrasadas intelectual e moralmente a evolução do processo educativo é lenta. Toda mudança para melhor encontra resistência da forma mental coletiva que se acomodou, não aceitando qualquer melhoria em seus modos de pensar e de agir. A família e a escola devem cumprir os seus deveres quanto a orientação do aluno, sem que uma transfira para a outra a sua responsabilidade.

(Emídio Silva Falcão Brasileiro, escritor, advogado, professor universitário, orador e conferencista brasileiro. Membro da Academia Goianiense de Letras e da Academia Espírita de Letras do Estado de Goiás. E-mail: emidio@cultura.trd.br)
Postar um comentário