"É mais fácil acreditar no arrependimento do eleitor, que no remorso do político." (Ediel)

"O Brasil já não tem para quem gritar "fora", fora o eleitor burro." (Leandro Flores)

Pesquisar neste blog ou na Web

MINHAS PÉROLAS

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

QUANDO FRACO, FORTE (Se lhe tomarem a camisa, dê também a eles o casaco)



CRÕNICA


QUANDO FRACO, FORTE (Se lhe tomarem a camisa, dê também a eles o casaco)

Por Claudeci Ferreira de Andrade


          Os seus vinte anos de sala de aula não lhe impediram que aprendesse mais uma lição. Numa semana de avaliação, sofreu duas abordagens significativas e outros gracejos corriqueiros sem muita importância. Foi quando o professor Claudeko elaborou uma prova de alto nível, estilo aquelas de vestibular contendo duas páginas, objetiva, e solicitou aos alunos que pagassem a xérox, mas cobrou vinte e cinco centavos de real, enquanto ele pagou por cada página dez centavos, então lhe sobraria cinco centavos de cada prova para cobrir a Xérox de um ou outro que não pudesse  pagar, contudo, formulou uma ameaça: quem não pagasse os vinte e cinco centavos, copiaria a prova à mão. Na verdade a ameaça era mais um blefe do professor, ninguém teria tempo para copiar uma prova daquele tamanho e depois respondê-la em duas aulas: só pressão, para não ter que pagar para trabalhar. Quando menos esperava, uma aluna “educada” lhe procurou em particular:

          — Professor se os alunos, que não pagarem a prova, vão copiar, que acho injusto, só vou pagar os vinte centavos.
          — Não, ninguém vai copiar, disse aquilo só por medo de que a maioria não pague e teria que arcar sozinho, o que não acho justo também, uma vez que a escola não tem equipamento – se justifica o professor com voz gentil.
          No segundo ano “D”, para uma experiência em busca de melhor aproveitamento, o sábio professor decide, com a Turma, que a prova fosse em dupla. E assim se fez.
          Janaína uma aluna do “C” quando ficou sabendo correu ao professor o abordou com aspereza:
          — Olha aqui, o senhor devolveu os vinte e cinco centavos para cada dupla dos alunos do “D”, sendo que cada dupla só utilizou uma prova?
          —Não, não devolvi, porque utilizaram a outra xérox para fazer rascunho, cada um recebeu sua cópia, apenas permiti que se unissem em duplas.
          — Ah, mas o senhor não nos permitiu que fizéssemos em dupla!
          Hoje me pus a pensar no que o professor Claudeko me perguntou após ter me contado sua experiência com aquelas provas:
          — Por que os alunos se importam tanto que me sobrem algumas moedas, mas não se preocupam que eu leve prejuízo? Seria isso o espírito de cidadania, tão pregado pela escola, que já se incorporou neles?
          Entretanto, só agora me senti apto para lhe responder; agora que passei pela mesma prática de vida. E lhe falo, se é que posso ainda lhe ser útil, citando a Bíblia!
          “Porém Eu digo: não resista à violência! Se lhe baterem numa face, apresente a outra também. Se você for levado ao tribunal, e lhe tomarem a camisa, dê também a eles o casaco. Se um soldado exigir que você carregue a mochila dele por um quilômetro, carregue dois. Dê àqueles que lhe pedem, e não fuja daqueles que lhe querem tomar emprestado” ( Mt 5:39-42 BV ). “Uma resposta branda aplaca a ira, palavra ferina atiça a cólera” (Pv 15:1 BJ).
          É um bom conselho para nós hoje, não é, Claudeko?
Claudeko
Publicado no Recanto das Letras em 29/05/2009
Código do texto: T1621770

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (autoria de Claudeci Ferreira de Andrade,http://claudeko-claudeko.blogspot.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários


Postar um comentário