"Lembrar é fácil para quem tem memória. Esquecer é difícil para quem tem coração." (W. Shakespeare)

"Se me esqueceres, só uma coisa, esquece-me bem devagarinho." (Mario Quintana)

Pesquisar neste blog ou na Web

MINHAS PÉROLAS

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

PEDAGOGIA LUDICISTA ( Como pretende a escola de tempo integral preencher o tempo das crianças? )

                

CRÔNICA

PEDAGOGIA LUDICISTA ( Como pretende a escola de tempo integral preencher o tempo das crianças? )

Por Claudeci Ferreira de Andrade


           Quando os alunos da escola pública pensam em uma aula dinâmica, tendem a ligar essa ideia com jogos, entretenimentos, diversões e festas. Quão fugazes são, porém, esses prazeres! Que podemos dizer do jovem bonito e saudável que, na propaganda, desfruta do sabor, o aroma, o prazer de determinada marca de cigarro? Atualmente há bem pouca dúvida de que não só o câncer, mas também o enfisema, doenças cardíacas e transtornos nervosos darão fim, prematuramente, a esse prazer que a propaganda não mostra. 
          Todas as atividades recreativas parecem ter certos fatores em comum. Elas debilitam o gosto dos alunos para o andamento de uma aula normal de didática que ensina conteúdos acadêmicos da matriz curricular. Os jogos destroem a fibra moral e pode tornar-se uma perturbação psicológica. Eles debilitam o intelecto por ocasionarem demasiada excitação; fazem com que as pessoas pensem mais no momento e em si, e menos no futuro e nos outros; e exigem porções cada vez maiores a fim de manter o mesmo estímulo que antes, como o efeito das drogas. Veja que ninguém pratica uma mesma dinâmica de grupo por duas vezes com o mesmo prazer!
          As aulas-show são prazerosas, sim, mas efêmeras e transitórias. Professores por certo saboreiam desse fruto por alguns momentos. Alunos apreciam sua tigela de lentilhas até compenetrarem-se de que perderam o direito de aprender da forma séria e não leviana. O sabor ideal está na dose certa dos alimentos naturais! O que realmente é necessário à educação para vida? Tudo isso tem muito a ver com o assunto do equilíbrio.
          Já lhe sucedeu estar sentado num ônibus quando outro ônibus se achava parado ao lado?  De repente teve a impressão de que o seu ônibus estava partindo, até verificar que era o outro que se movia em direção oposta. Isto pode ser aplicado aos que procuram diversões nas escolas. Eles não devem surpreender-se ao constatar que não estão obtendo alegria, e, sim, perdendo a oportunidade de apoderar-se do conhecimento que interessa para a verdadeira alegria.
          Atividades, brincadeiras e esportes que fortalecem o corpo, que desenvolvem as faculdades e habilidades, que nos põem em contato com o ar puro, que aliviam a mente após um período de estudo ou de trabalho sedentário, que desenvolvem a cooperação e a amizade são recomendáveis aos alunos e professores que se prezam, desde que, naturalmente, não diminuam o tempo ou o interesse dedicado a atividades mais importantes e não ocorram a expensas do dinheiro, da saúde ou do bem-estar de uma outra pessoa.
          A pedagogia ludicista que produz hilaridade disparatada, excitação inútil ou impetuoso espírito de competição é prejudicial. Como pretende a escola de tempo integral preencher o tempo das crianças?  
Claudeko
Publicado no Recanto das Letras em 18/05/2009
Código do texto: T1601279

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autoria de Claudeci Ferreira de Andrade,http://claudeko-claudeko.blogspot.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Comentários

Postar um comentário